Reabertura das áreas comuns em condomínios

23 de junho de 2020
Foto do diretor da Estasa, Luiz Fernando Barreto, sendo entrevistado para a Record TV (R7) para a pauta: "Reabertura das áreas comuns em condomínios" para o Blog da Estasa

Os condomínios do Rio estão se preparando para a reabertura gradual das áreas comuns. Os síndicos receberam um manual com 6 fases, baseadas no plano da Prefeitura, que vão durar 15 dias casa, em caso da continuação da estabilidade da curva do coronavírus.

Nós já explicamos um pouco sobre a reabertura gradual das áreas comuns em condomínios neste post.

O diretor da Estasa, Luiz Fernando Barreto, foi entrevistado pela reportagem do R7 e comentou sobre a reabertura.

– Agora é um momento que a gente tem que tomar cuidado na reabertura. O manual explica não só quando abre mas quais os cuidados que se deve ter no momento de reabertura. Então, sem dúvidas, é muito importante os síndicos seguirem pra gente evitar esse momento de propagação.

LEIA MAIS:

Blog Estasa – [Coronavírus] Uso de máscaras em condomínios

Blog Estasa – [Coronavírus] Orientações para conter o Covid-19 em condomínios

Blog Estasa – Condomínios podem começar a reabrir as áreas comuns. Confira as fases!

Confira a matéria na íntegra abaixo:

 

Para facilitar a compreensão de todos, disponibilizamos abaixo a cartilha de boas práticas na reabertura gradual das áreas comuns em condomínios elaborada pela ABADI:

 

1- A utilização do elevador deve ser individual ou apenas por membros da mesma família

 

2- Fica recomendada a proibição do uso de personal trainer na academia e dependências de uso comum

 

3- Atividades com uso individual por famílias devem ser pré-agendadas de forma a evitar filas e aglomerações

 

4- Todos os agendamentos de áreas comuns devem ser feitos por aplicativos ou meios de comunicação remoto, como telefone, e-mail, WhatsApp;

 

5- Enquanto houver restrições, fica desaconselhado o empréstimo pelo condomínio de materiais de uso individual como bolas, raquetes e livros;

 

6. Em áreas de uso infantil como parques e brinquedoteca o ambiente deve ser higienizado (pelo condomínio ou usuário) ao trocar a família de uso;

 

7. Mudanças poderão ocorrer, mas com o devido agendamento e comunicação prévia à administração para evitar superposição;

 

8. As piscinas devem funcionar com agendamentos ou escalas entre os moradores;

 

9. As obras podem ser executadas de acordo com as regras existentes nos decretos, dando-se preferência àquelas urgentes e necessárias

Quer entender mais sobre a reabertura gradual das áreas comuns em condomínios?

A Estasa é referência no mercado de administração de condomínios no Rio de Janeiro. Montamos uma página explicando o que nos diferencia e o que nos diferencia das outras empresas. Clique aqui e confira todas as soluções inovadoras para uma administração transparente no seu condomínio.

Fonte: R7 – Condomínios do Rio recebem manual para reabertura das áreas comuns