Condomínios organizam festas e ações para integrar os moradores

09 de abril de 2018

A união faz a força para benefício coletivo

Viver em condomínio é um desafio. São dezenas, centenas de pessoas dividindo o mesmo espaço submetidos às mesmas regras. Para tornar esta vida mais harmoniosa, diversos condomínios investem em confraternizações para reunir a vizinhança. Em épocas de vagas magras, síndicos e moradores buscam soluções criativas para manter a vida social nos prédios.

Desde o ano passado, o conselho do condomínio Mais São Cristóvão, que tem 240 apartamentos, promove iniciativas de integração. Começaram com festas de Dia das Crianças, churrascos, fizeram um campinho society em uma área sem construções. Ao observar o desperdício de comida nos eventos, eles tiveram a ideia de distribuir para moradores de rua. Acabaram oficializando e agora fazem a “Macarronada do bem”.

– Por meio de uma gincana arrecadamos macarrão. Depois, cada um leva um ingrediente para o salão de festa do prédio. Fizemos uma macarronada coletiva, abastecemos 150 quentinhas e distribuímos para moradores de rua da região – explica Leonardo Borges, um dos membros do conselho contando que o projeto para este ano é levar um festival de food trucks e uma feira livre, em parceria com os comerciantes locais.

Na Pavuna, os moradores dos seis prédios do Estação Zona Norte participaram de comemorações do Dia das Crianças e do Dia das Mulheres. O presidente da associação de moradores, Fabio Ramos, conta que assumiu a gestão com problemas financeiros e decidiu fazer a administração “baseada no coletivo”, com o máximo de aproximação com e entre os moradores.

– Estes eventos para os moradores ficam como forma de compensação, de que vale a pena pagar o condomínio. Ewerton Vicente, síndico do Slash Residence Club, em Inhoaíba, promove confraternizações para deixar os moradores dos 300 apartamentos mais à vontade. “Apenas 20% dos meus moradores moravam antes em condomínio. Então é tudo muito novo. A maioria não está acostumada a ter muitos vizinhos e esses eventos ajudam a fortalecer a amizade” – explica.

Menos Brigas

Para Anna Carolina Chazan, gerente de relacionamento da Estasa, a vantagem da integração dos condôminos é diminuição dos conflitos internos, o respeito mútuo e a empatia para solucionar os problemas comuns. “Qualquer condomínio pode fazer, mesmo com pouca verba ou sem dinheiro. O que vai depender mais do envolvimento e da colaboração com os moradores. Com a Copa do Mundo se aproximando, os adultos podem combinar de assistir os jogos juntos, por exemplo” – aconselha.

Planejamento de Evento

A integração entre os moradores não precisa ser aprovada em assembleia. Se os custos com os eventos de integração não estiverem previstos no orçamento anual, podem ser divididos apenas entre os participantes, diz Anna Carolina. Um evento somente tem que ser aprovado em assembleia se houver na convenção do condomínio algum impedimento de usar as áreas comuns. O síndico e o conselho precisam convocar uma assembleia para decidir a organização do evento e informar todos os detalhes aos moradores, inclusive os custos.

– Uma sugestão para os condomínios que organizam festas como Natal, festa junina e de Páscoa, é fazer um planejamento de todos os eventos e convocar uma assembleia para aprovar o cronograma do que acontecerá durante o ano e poderão se planejar – orienta Jaime Cukier, diretor da Cukier & Cukier Advogados Associados.

Pareceu complicado?

A Estasa é referência em administração de condomínios no Rio de Janeiro. Montamos uma página explicando exatamente como atuamos e o que nos diferencia das outras empresas. Clique aqui e confira todas as soluções inovadoras para uma administração transparente no seu condomínio.