Condomínio caro: o que fazer?

14 de novembro de 2018
Foto de notas de reais para a pauta "Condomínio caro o que fazer" para o Blog da Estasa

Em tempos de crise econômica, um condomínio caro realmente pode afetar o bolso do morador. Aqui na Estasa, uma dúvida recorrente dos condôminos dos empreendimentos que nós administramos é: “meu condomínio está muito caro e eu não entendo o motivo” ou “meu prédio não oferece nada e a taxa que eu pago está alta”.

Para se entender os motivos que levam a se ter um condomínio caro, é necessário entender a noção de cota condominial. Dentro de um prédio, a administradora que gere o condomínio deve fazer a soma de todas os gastos e despesas que o condomínio possui e dividir o valor de maneira igual entre todos os apartamentos (ou “unidades”, para se usar o jargão da nossa área). Resumidamente: a cota condominial de uma unidade é o rateio das despesas do condomínio entre as unidades que fazem parte, ou seja, não existe aqui o conceito de lucro, impostos, etc.

Se o condomínio é caro, isto significa que o valor da cota está alto. Podemos resumir que dois fatores são os grandes responsáveis por encarecer ou baratear o valor da cota (ou do condomínio caro): o número de unidades do condomínio e o nível de serviços oferecido.

O número de unidades é bem fácil de entender: quanto mais temos apartamentos, casas e lojas para dividir a conta, menor ela fica para uma unidade individual. Então mais importante do que ter uma piscina é saber quantas pessoas dividem os custos desta piscina. Por exemplo, cotas de condomínio em prédios de poucos andares são normalmente mais caros do que em prédios muito altos, e muitas vezes aqueles condomínios cheios de infraestrutura de lazer não tem uma cota tão alta porque também são muitos para dividir a conta.

Leia mais:

Blog Estasa – 5 passos para economizar de verdade no seu condomínio

Blog Estasa – Inadimplente com o condomínio? Veja o que pode (ou não) ocorrer

Blog Estasa – Participar da reunião de condomínio pode ajudar moradores a economizar

Podemos entender o nível de serviço como o que o condomínio nos oferece. Isso pode ser uma estrutura de lazer como piscina, quadras, salões de festa, etc que demandam limpeza e manutenção; ou serviços aos moradores como cafeteria, lavanderia, aulas de esportes, limpeza & manutenção em seus apartamentos; ou mesmo presença de porteiro e segurança 24h nas unidades.

Então se deseja um imóvel com condomínio mas baixo busque grandes condomínios e que não ofereçam serviços fora do padrão. Clique aqui para conferir uma seleção dos nossos melhores imóveis disponíveis para serem visitados.

Esse texto faz parte de uma série nova chamada “Vida em Condomínio” onde nós explicaremos temas básicas de administração condominial para síndicos iniciantes e moradores que queiram entender um pouco mais sobre o lugar onde eles vivem. Veja aqui os outros textos da série. 

Pareceu complicado?

A Estasa é referência em administração de condomínios no Rio de Janeiro. Montamos uma página explicando exatamente como atuamos e o que nos diferencia das outras empresas. Clique aqui e confira todas as soluções inovadoras para uma administração transparente no seu condomínio.